Page 2 of 4

O Primeiro Livro Perdido

Passamos horas, quase dias, imersos em páginas de pergaminhos e livros com símbolos que nenhum de nós já tinha visto. Eu e os outros Verge estávamos focados em tentar retirar qualquer novo conhecimento daquele antigo material. Nossos Heróis partiram para o fronte para ajudar na proteção dos operários que construíam o muro, uma vez que ao sul de Spellenrune as máquinas de Technokrest tinham pouco o que fazer em meios à floresta.

Quanto mais tempo observamos aqueles símbolos para nós abstratos, mais eles nos pareciam incompreensíveis. Um dos Verge sugeriu que passássemos a estudar dentro do Santuário, para tentar buscar pelos segredos dentro da mesma atmosfera que foram escritos. Em conjunto com esta ideia me veio a luz de colocar um de nossos Cristais Runa em um lustre que aparentava servir como candelabro para múltiplas velas.

A luz da energia azul que tocava tudo ao nosso redor passou a potencializar nossos sentidos e uma voz veio em minha cabeça. Carlo possuía a mesma visão que eu e seus pensamentos agora pairavam claros em minha mente.

“Vejo poucas páginas de um mesmo livro espalhadas em várias folhas à sua frente. Me parece que desmontaram o livro e espalharam suas páginas por esses encadernados. Precisamos de mais do que o que está aí.”

O Legado de Malthus

Após um interrogatório longo por parte do sumo sacerdote, imaginei tê-lo surpreendido com tamanho conhecimento oculto de nossos livros e pergaminhos no Templo Central e mesmo na Grande Biblioteca. Porém seu olhar me deixou confuso.

“Você fala do grande Malthus sem ter o conhecimento necessário meu jovem Nettor. Não apenas um grande Verge, um grande sacerdote e um grande pensador. O conhecimento que fora ocultado por ordem dele teve seu selo quebrado no momento em que a forja começou a funcionar.” – enquanto ele falava eu observava a quantidade enorme de novos livros em sua sala. Títulos que nunca ouvi falar, tamanhos desproporcionais encadernados com couro curtido e rabiscados com runas e símbolos mais antigos que a construção do próprio templo.

“E esses livros estavam trancados no santuário sob o templo?”

“Sim. Mas não podemos compreendê-los totalmente. Dois ou três pergaminhos possuem resumos e pouca coisa sobre esta linguagem está escrita em nosso material. Nem mesmo meus melhores pesquisadores conseguem revelar o que está escrito. Nada além do que está claro para nós: aquilo pertence aos Verge.

Não sabemos ainda qual a extensão dos poderes que esta energia nova pode lhes fornecer, mas se Malthus decidiu ocultar tudo isso como você diz, espero não estarmos trilhando um caminho que até mesmo ele considerou perigoso em sua época.

A necessidade agora é de encontrar mais conhecimento. Busque por estes livros o local onde seu antepassado costumava pesquisar. Quem sabe trilhar o caminho dele consiga nos iluminar mais do que esta nova energia que carrega consigo”

Evoluindo Carlo

Após mostrar a carta de Hertanyth a Albano, ele decidiu que já era hora que fazer uma visita a Spellenrune. Ele e eu fomos acompanhados de um pequeno grupo de Verge e soldados. Fomos escoltados por duas aeronaves, pelos três heróis que sobravam e carregávamos mais da metade do que restava de Starun.

Os anciões sabiam que estávamos indo. Estavam nos esperando na entrada do Templo Principal. Carlo sabia que tinha adquirido experiência suficiente de sua primeira batalha, a qual infelizmente apenas ele e Tusk tinham participado. O sumo sacerdote nos guiou até um Santuário do qual nunca tinha ouvido falar. Caminhamos por corredores intermináveis em meio ao subssolo do templo. A estrutura do local se assemelhava muito ao que vimos em Mithaurian. Tão logo quanto chegamos na entrada da câmara, o sumo sacerdote me entregou um pergaminho.

“Para este passo na evolução de Carlo, não mais do que um Cristal Runa será necessário. Mas cuidado com os perigos da ganância quando se tratar de evolução. Entre no santuário. Leia o Pergaminho. Tenha um herói forte. Após isso feito, há segredos que preciso revelar antes que escolham o que farão em seguida.”

Carlo se pôs no centro do santuário enquanto eu coloquei a Runa na cavidade abaixo do atril. Enquanto eu lia as palavras, a energia que emanava do Cristal o envolveu e após uma longa retomada de fôlego ele pareceu absorvê-la. Ele agora brilhava mais. Sua aura estava mais forte, assim como seu conhecimento e sua vontade.

“Uma xícara de chá?” perguntou o sumo sacerdote enquanto saímos do santuário…

A Carta

Caro Nettor,

Não posso expressar a tristeza que sinto pela maneira com a qual nossos caminhos se dividiram. Haviam coisas que precisavam ser descobertas por métodos que eu sabia que não seriam aprovados pelos outros. Como poderia eu em minha frágil forma me opor a você, O Poderoso Albano, todos os seus guardas e seus muitos seguidores? Vocês se tornaram uma seita, igual aos anciões que você costumava contrariar no Templo Central de Spellenrune. Enquanto vocês discutem e planejam, eu agi.

Tenha certeza que não estou contra vocês. Eu, assim como todos vocês, apenas espero salvar Myridian do Fim. Apenas escolhi um caminho diferente.

Mesmo assim, existe uma informação valiosa que preciso compartilhar com você. Nossos heróis vieram a este plano com poderes irrisórios comparados ao seu verdadeiro potencial. Toda vez que eles entrarem em combate, suas habilidades elevam-se ao ponto de estarem prontas para incorporar a experiência em seus corpos e tornarem-se mais fortes, rápidos e resistentes. Isso exige Starun. Pouco no início, mas chegará o dia em que mais Starun será necessário para isso do que para trazer um novo herói à vida. Escolhas terão que ser feitas. Há uma câmara do subterrâneo de Spellenrune. É de lá que dois dos retratos que vocês receberam em Mithaurian foram tirados. Os anciões não queriam compartilhar a existência daquela câmara, mas você terá que encontrar os pergaminhos e executar os rituais de evolução. Não é a única forma, mas será mais fácil para você, afinal, é aquele que sacrifica menos.

A Grande Muralha

Alguns dias se passaram desde que Hertanyth partiu e continuamos cheios de dúvidas sobre qual deverá ser nosso próximo passo. Engenheiros de Technokrest foram enviados à escavação esgotada para tentar encontrar pistas de como encontrar e extrair de novas reservas de Starun.

Carlo, Donna e Neeno começaram a mostrar sinais de enfraquecimento. Nosso racionamento de recursos está tendo impacto também neles.

Enquanto os Verge gastaram seu tempo pesquisando, Technokrest avançou no desenvolvimento de suas máquinas voadoras que agora nos ajudam a guardar fronteiras. Albano reuniu cada cidadão com forças para produzir de cada um dos três reinos livres e uma força tarefa está caminhando para envolver toda a terra com uma imensa muralha auxiliada por defesas e torres de vigia a cada quilômetro.

A Lei de Hertanyth e o Juramento

A expressão de relutância passada pelo rosto de Tusk durante a traição de Hertanyth tornou-se prova de que tudo que Tusk havia feito era contra sua vontade. Quando invocados e unidos a um Verge, heróis podem ser controlados por eles mas sua consciência está sempre presente e apenas agem se estão de acordo com o que foi proposto. Então agora toda vez que um herói é invocado precisa realizar um Juramento. Nunca deverá atacar Merids ou Verge que estejam contra O Fim, não importando o motivo. E combates entre heróis só serão permitidos em áreas de treinamento, masmorras e desafios criados pela energia do Starun. Esta será conhecida como A Lei de Hertanyth.

Agora temos que reagrupar e tentar avaliar as alternativas para prosseguir em nossa luta sem um de nossos heróis mais valiosos… se ao menos…

O Primeiro Revés

O Starun disponível era o necessário para executar três rituais mais tarde nesta noite. E enquanto estávamos nos preparando, o tão aguardado carregamento chegou. A escavação agora estava esgotada. Aquela era a única área que encontramos que fora destruída por desastres naturais. Então teríamos de dar nosso melhor com este último estoque até encontrarmos uma nova concentração de lascas para extrair novamente.

O comboio estava próximo dos portões de Mithaurian quando de repente escutamos um urro ensurdecedor. Tusk avançava em carga contra as tropas, o que deixou os guardas confusos. Eles pensaram estar em algum tipo de emboscada então firmaram-se no chão aguardando que ele se unisse à eles. O desapontamento foi enorme após ele atropelar todos os soldados em um piscar de olhos. Próximo a eles estava Hertanyth. Enquanto reforços se preparavam e deixavam Mithaurian para combater Tusk, Hertanyth tomou controle do carregamento e partiu. Tusk manteve seu posto o bastante para Hertanyth sumir à distância e então desapareceu. Os soldados que foram designados para detê-lo ficaram petrificados enquanto ele andava de um lado para o outro esperando as carroças sumirem.

Dizem que a expressão do olhar de Tusk era de tristeza e desapontamento, mas ele não exitaria em destruir qualquer um que ameaçasse tentar passar por ele. Albano está desiludido, tanto quanto todos nós. Precisamos repensar em como usar o restante de Starun, e também preparar nossos heróis para lutar contra um deles mesmos caso cheguemos a este ponto. O que pode ter levado Hertanyth a tal feito?

Lendas de Spellenrune e Technokrest

Depois que rumores de heróis mitológicos saindo de pinturas sagradas se espalhou por Myridian, os guardas de Albano passaram a ter trabalho com camponeses de todas as partes. Qualquer um que tivesse um retrato pendurado em uma parede e acreditasse que uma criatura mística estava pronta a sair dele decidiu nos trazer o tal item.

Entretanto, nós tivemos notícias do alto templo de Spellenrune e eles nos enviaram uma caravana portanto dois retratos. O sumo sacerdote nos informou que eles tem registro de mais retratos localizados em outros templos que, para nosso infortúnio, já cairam.

Engenheiros de Technokrest também encontraram um. Estava oculto em uma das diversas câmaras da Forja. Também estamos esperando um novo carregamento de Starun. Está sendo extraído de uma escavação na área rural de Mithaurian, apesar de meus conselhos contrários a isso.

Esta noite devemos tentar invocar mais três herois, pois tanto minhas forças quanto a quantidade de Starun serão suficientes.

A Primeira Batalha, Levantem Novos Herois

O poder das lendas vai além do que se pode acreditar. Pensar que apenas dois deles derrotaram por volta de duzentos Yrians! Eles voltaram alguns dias mais tarde e trouxeram consigo Starun o bastante para que nós trabalhássemos nas invocações dos outros dois Primeiros. Dona Flecha-Ambar e Neeno Lua-Nova agora andavam entre nós.

Eu nunca me senti tão poderoso, mesmo que esgotado. Cada vez que executávamos um ritual minhas juntas e músculos ardiam. Isso me consome. Mas preciso continuar… Há tanto a ser feito que tem se tornado difÍcil encontrar tempo para escrever estas linhas pelo bem da história!

E agora eu extremamente preocupado com a visão das coisas que Hertanyth tem… Ele parece ter um gosto pela guerra e pelo poder… Conseguir recursos e aumentar a força de Tusk é tudo sobre o que tem falado ultimamente. Ele aparenta estar lutando uma guerra para sí apenas… Ele está fora no campo de batalha novamente… Ele poderia ficar aqui e ver através dos olhos de Tusk mas prefere sentir o cheiro do sangue dos Yrians derrotados…

Hertanyth desperta o segundo Herói

Após aprender o que houve, não restavam dúvidas que precisaríamos invocar novos heróis. Com o passar dos dias, os guardas de Albano nos apresentavam mais Verge recém despertos. Eram dúzias agora e a presença de mais Starun a nossa volta os ajudou a ampliar sua percepção e começar a manipular a energia do Fluxo. Porém eu ainda não estava convencido que extrair Starun era a escolha mais sábia. Se estávamos sendo capazes de tirá-lo da terra, significava que o Selo daquela área fora destruído. Que poder teria feito tal coisa?

Nós chegamos a conclusão que o rinoceronte que Hertanyth nos descreveu era com certeza um Primeiro tentando voltar ao mundo. Já que tínhamos Starun e Verge suficiente, um segundo ritual poderia ser executado. Eu tinha que liderar o grupo uma vez que era o único que podia e sabia como. Mas desta vez Hertanyth ficou no altar. Sua fusão foi bem diferente da minha. Enquanto eu não senti nada além de paz durante o processo, Hertanyth estava com muita dor. Foi muito trabalhoso e nós sentimos que ele quase entrou em colapso quanto tudo finalmente aconteceu. Tusk Escudo-Nobre foi trazido a Myridian. Maior ainda que Carlo, em uma mão portava um martelo de batalha que nenhum Merid podia sonhar em levantar. Na outra mão, o Escudo Nobre. Um item mágico que parecia quase indestrutível. Adornado com símbolos rúnicos antigos. As marcas de batalha nele pareciam apenas arranhões e mesmo assim devem ter sido feitos por armas poderosas. Sua armadura brilhava em azul e prata, muito similar ao peitoral de Carlo. A maior parte de seu grande corpo musculoso era coberto por armadura.

“Eu protegerei vocês das tempestades que estão por vir!”

Ele estava pronto para começar a nos contar sua história quando fomos interrompidos por um guarda que invadiu a câmara. Ferido em batalha, foi escorado por Albano, e antes de cair inconsciente no chão ele nos disse algo que causou muita preocupação:

“Rei Albano, eram muitos deles! Fomos massacrados! A escavação… de baixo… monstros!!! Eram… tantos…”

“Ah, a primeira tormenta! Bem em tempo caros amigos!” Disse Tusk – e então ele e Carlo marcharam à batalha.

“Feliz em lutar ao seu lado mais uma vez, velho amigo!”, ele completou.

©2018, The Myridian Alliance